quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Abuso Sexual? E eu com Isso...

Se as crianças e adolescentes tiverem que ser vítimas do destino, que jamais seja por nossa omissão ou negligência! (John Kennedy)

A violência sexual contra crianças e adolescentes é um fenômeno complexo e de difícil enfrentamento, apesar deste fato ter ganhado certa visibilidade nos últimos tempos através de campanhas de conscientização como o 18 de Maio e canais de denúncia como o Disque 100, a sua compreensão e enfrentamento ainda precisa ganhar muito espaço. Atuo no Centro de Referência Especializado da Assistência Social – CREAS do município de Alta Floresta/MT. Lá, juntamente com uma equipe técnica composta por psicólogos, assistente social, advogada e educadores sociais, prestamos atendimento a pessoas que vivenciam as mais diversas situações de violação de direitos e dentre estas vítimas estão crianças e adolescentes vítimas de Violência Sexual.

Aos que não sabem, o abuso sexual é todo ato ou jogo sexual, sendo relações heterossexuais ou homossexuais, entre um ou mais adultos e uma criança ou adolescente, com a finalidade de estimular sexualmente a vítima ou utilizá-la para obter uma estimulação sexual. Trata-se de um fenômeno mundial e, ao contrário do que muita gente imagina, o abuso sexual atinge todas as classes sociais e está ligada também a aspectos culturais, como as relações desiguais entre homens e mulheres, adultos e crianças, brancos e negros, ricos e pobres.

Eu sempre digo que antes de atuar no atendimento às vítimas de violência sexual eu não tinha noção do que é o Abuso Sexual e muito menos as suas consequências. A partir de minha experiência no atendimento a essas vítimas, percebo que é nítido que as mesmas chegam ao serviço de proteção cheias de marcas, não apenas físicas, mas também psicológicas as quais acabam interferindo negativamente em seus comportamentos. É uma violência velada, íntima, difícil de ser identificada, porém não é impossível.

Sobre as consequências do abuso eu afirmo que são diversas e severas. A  curto prazo, por exemplo, a vítima pode apresentar  problemas de ajustamento sexual, preocupação com assuntos sexuais, aumento das atividades masturbatórias, súbito aumento das atividades heterossexuais. Mudanças súbitas e extremas tais como distúrbios alimentares e afetivos, comportamentos agressivos ou de autodestruição e pesadelos podem ser observados em crianças e adolescentes em situação de abuso sexual.

Destaco também o medo, perda de interesse pelos estudos e brincadeiras, dificuldades de se ajustar, isolamento social, déficit de linguagem e aprendizagem, distúrbios de conduta, baixa autoestima, fugas de casa, uso de álcool e drogas, ideias suicidas e homicidas, tentativas repetidas de suicídio, automutilação e agressividade também têm sido descritos.
 
O abuso sexual também pode ocasionar sintomas físicos, tais como hematomas e traumas nas regiões oral, genital e retal, coceira, inflamação e infecção nas áreas genital e retal, doenças sexualmente transmissíveis, gravidez, doenças psicossomáticas e desconforto em relação ao corpo.

Todas essas características acima são indícios de que a criança ou adolescente possa estar sendo vítima de abuso sexual ou qualquer outra violência, por isso, você profissional psicólogo, assistente social, professores, educadores sociais, todas as pessoas que tenham contato com crianças e adolescentes, fiquem atentos.

Faça a sua parte. Em caso de violações, Não desvie o olhar. Fique atento. Denuncie.PROTEJA. Para denunciar DIQUE 100 ou procure o Conselho Tutelar, CREAS ou Delegacia mais próxima. 

Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores