quinta-feira, 14 de julho de 2011

Depressão Pós-Parto - Sintomas e Tratamento

A depressão pós-parto causa tristeza, irritabilidade, insônia e ansiedade e qualquer mulher pode adquirir tal patologia.   Os sintomas mais comuns associados com a depressão pós-parto são a tristeza, a irritabilidade, a fadiga, a insônia, a perda de apetite e a ansiedade e estes podem romper o vínculo materno-filial e afetar negativamente o crescimento do bebê recém-nascido.

Sintomas

Tristeza
É o sintoma mais frequente. A paciente sente falta de ânimo, desgraçada e infeliz, chorosa, especialmente em determinados momentos. 

Irritabilidade
A mãe se mostra irritável e agitada com seu marido, sua família, inclusive com seus filhos e o recém-nascido. Sente uma certa desorganização em seus pensamentos, e algo de incapacidade quanto as suas tarefas.

Cansaço
A paciente se sente esgotada, constrangida e cansada para realizar suas primeiras tarefas de mãe. Sente-se incapaz e inútil.

Insônia
A mãe sente dificuldade para dormir

Perda de apetite
A paciente, normalmente, não tem tempo nem vontade de comer, o que pode levá-la a sentir-se mal humorada e cansada. Outras mães fazem o contrário. Comem em excesso para aliviar o mal estar psicológico.

Ansiedade
A mãe sente medo de ficar sozinha com o bebê, de não poder cuidá-lo, de que o bebê fique doente, e se sente culpada por não estar o suficiente “enamorada” do seu bebê como deveria estar. O ama muito mas não pode com ele porque não se sente suficientemente animada e forte.

Desinterese pelo sexo
O que antes era um prazer, agora se converte em algo chato para a mãe. A paciente pode rejeitar qualquer contato sexual, o qual pode gerar tensão com o marido.

Angústia
A paciente tem a sensação de não ter tempo para nada. Custará a ela, estabelecer novas rotinas frente ao bebê e à nova situação que vive.

Tratamento

É difícil dizer quanto tempo dura a depressão pós-parto. Alguns casos duram uma semana, e outros podem durar meses. Os médicos recomendam tratar a depressão pós-parto desde o princípio. Se não tratar adequadamente pode persistir durante meses e até anos. A depressão pós-parto se trata igualmente a qualquer outra depressão. Trata-se com terapia psicológica e medicação.

O tratamento começa desde o momento em que se suspeita a presença do transtorno. É importante animar a paciente para que expresse como se sente, e tente ajudá-la para que veja seus problemas através de uma atitude positiva, compreensiva, tolerante, e não com reprovações ou culpas. Deve mostrar à mãe que esse transtorno tem cura e lhe ensinarão como enfrentá-lo. Primeiro, o apoio e a tranquilidade, logo a consciência, e depois a recuperação.

É muito importante que o marido da paciente esteja envolvido no seu tratamento. O marido também participará das terapias, e se sentirá mais aliviado em saber do que se trata, e por receber conselhos sobre como agir e ajudar sua esposa.

Quando ao tratamento farmacológico, será sempre seu médico que irá prescrever o tratamento. Tudo dependerá do quadro Clínico da paciente.

Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores