segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Adiar a realização de tarefas compromete o desenvolvimento

Procrastinar atividades é um hábito e mudar comportamento é primeiro passo para alcançar a excelência na vida pessoal e profissional



Procrastinar é o ato de adiar, delongar, demorar, retardar, deixar uma tarefa para depois. Em termos populares quer dizer enrolar para fazer uma atividade ou “empurrar com a barriga”. A procrastinação tem sido amplamente estudada por gerar prejuízos comportamentais, sociais e econômicos.

A consultora organizacional e diretora da RHUMO Consultoria Lara Castro, afirma que a procrastinação nas empresas pode aumentar o custo produtivo, visto que a pessoa não consegue realizar a tarefa no tempo correto, gastando mais tempo. “Como em uma organização tudo está interligado, o profissional procrastinador pode comprometer o trabalho dos colegas, gerar desgaste na equipe, causar conflitos e perdas de negócios e comprometer o clima organizacional”, explica.

A consultora observa também que a procrastinação é um hábito e o comportamento pode ser detectado pela própria pessoa, supervisor imediato, colegas de trabalho e amigos. Nas empresas, os gestores devem, primeiramente, identificar o procrastinador e dar feedback. “Para isso, é preciso ter conhecimento de comportamento humano para distinguir a procrastinação do não saber realizar a tarefa e da falta de vontade. Depois, é importante pensar em um tratamento para o problema, que pode ser com o acompanhamento de um coaching, de um terapeuta – ou de ambos, treinamentos ou cursos”, diz.

O ato pode ser causado por outros tipos de comportamentos, como, por exemplo, medo de errar e fracassar, perfeccionismo, ansiedade e impulsividade. “O medo de errar é grande, alimentando a frustração e a insegurança para realizar a atividade, e vira um comportamento de autossabotagem. A procrastinação também pode estar ligada aos problemas de administração de tempo. O procrastinador quer o benefício da ação na hora. Se é imediato, ele age. Caso contrário, protela, mesmo com consciência de que a falta de ação pode trazer prejuízos futuros”, pontua Castro.

A procrastinação é diferente da preguiça. Enquanto a preguiça se refere a pouca disposição para o trabalho ou aversão, procrastinação é o ato de deixar para depois, fazer de última hora. “Depois do advento dos smartphones e das redes sociais, a procrastinação está ainda mais presente na vida das pessoas. Por isso, é comum as empresas bloquearem alguns acessos no ambiente de trabalho. Independentemente de qualquer distração, é importante que a pessoa entenda que procrastinar não é um ato benéfico para seu desenvolvimento. Aceitar a condição e mudar é o primeiro passo para alcançar a excelência na vida pessoal e profissional”, comenta a consultora.

Fonte: MSN Empregos 

Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores