quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

SERÁ QUE VIVEMOS REALMENTE?

Ao longo da vida deparamos com problemas, sofrimento, medos que não sabemos explicar, dúvidas e anseios… Quantas vezes não sabemos definir o que se está a passar conosco, mas sabemos que não nos sentimos bem? Quantas vezes sabemos, mas tentamos esconder de nós próprios a nossa dor, criando o pensamento de que vai ficar tudo bem? 

Por vezes tendemos a guardar estas questões às quais não conseguimos dar resposta clara. Mas será que conseguimos chegar a nós mesmos? O processo de autoconhecimento é tão longo quanto a vida. Permitimo-nos a tudo, a horários, a rotinas, a pessoas, mas nem sempre nos permitimos a nós. Os caminhos podem ser sinuosos, desafiantes e até frustrantes, mas a persistência em nós faz-nos atingir metas internas impensáveis e maravilhosas também.   

A pergunta “será que vivemos realmente?” poderá ser interpretada de modo diferente por cada pessoa distinta que a lê, porque cada pessoa dará certamente um significado singular à palavra “viver”. Ainda assim, será que a vida é vivida ou é pensada? A tendência a racionalizarmos tudo o que nos rodeia, a tendência a reduzirmos a nossa vida e a nossa essência ao que está à nossa volta, aos nossos problemas quase que nos impede de viver plenamente, de sentir o que somos, de sair do mundo e estar em contacto com a nossa realidade mais profunda… Conosco! 

É difícil sair do casulo, é difícil esta transcendência que nos permite o encontro com o nosso eu mais recôndito, mas não é impossível. Qualquer hora é hora de viver, qualquer dia é dia de sermos NÓS! Que seja EU, que sejas TU, chegou o momento de ser! 

Por: Joana Sampaio - Clínicas Dra. Cristina Camões

Um comentário:

Anônimo disse...

Texto genial, me identifiquei totalmente!

Popular Posts

Seguidores