segunda-feira, 18 de maio de 2015

Relação Entre o Facebook e Sintomas Depressivos

O site de mídia social, Facebook, pode ser uma ferramenta eficaz para se conectar com amigos novos e antigos. No entanto, alguns usuários gastar um bom tempo visualizando o Facebook e inevitavelmente começar a comparar o que está acontecendo em suas vidas com as atividades e realizações de seus amigos.

De acordo com pesquisadora da Universidade de Houston (UH),  Mai-Ly Steers, este tipo de comparação social emparelhado com a quantidade de tempo gasto no Facebook pode estar ligado a sintomas depressivos.

"Embora os processos de comparação social tenham sido examinados em profundidade em contextos tradicionais, a literatura está apenas começando a explorar as comparações sociais em ambientes de redes sociais on-line", disse Steers, doutoranda em psicologia social em UH.

Steers conduziu dois estudos para investigar como a comparação social aos pares no Facebook pode impactar a saúde psicológica dos usuários. Ambos os estudos fornecem evidências de que os usuários do Facebook se sentem deprimidos ao compararem-se aos outros.

"Isso não quer dizer que o Facebook provoca depressão, mas que sentimentos depressivos e muito tempo no Facebook comparando-se aos outros tendem a andar de mãos dadas", disse Steers.

O conceito de comparação social não é novo. Na verdade, ele foi estudado em contextos face-a-face, desde a década de 1950. No entanto, engajar-se em comparações sociais em sites de mídia social on-line pode fazer as pessoas se sentir ainda pior.

"Além disso, a maioria dos nossos amigos do Facebook tendem a postar sobre as coisas boas que acontecem em suas vidas, deixando de fora as coisas ruins. Se nós estamos nos comparando à pessoas que buscam destacar sempre  o positivo, isso pode nos levar a pensar que suas vidas são melhores do que realmente são e, inversamente, fazer-nos sentir pior sobre nossas próprias vidas." disse Steers.

Strees disse que as pessoas que sofrem com dificuldades emocionais podem ser particularmente sensíveis aos sintomas depressivos devido a comparação social nas  redes sociais, depois de passar mais tempo no meio. Para os indivíduos já em dificuldades, essa visão distorcida da vida dos seus amigos podem fazer com que se sintam sozinhos em suas lutas internas, que podem compor os seus sentimentos de solidão e isolamento.

"Esta pesquisa e pesquisas anteriores indicam que o ato de socialmente comparar-se aos outros está relacionado com as emoções destrutivas de longo prazo. Qualquer vantagem adquirida de fazer comparações sociais é temporária e se engajar em comparação social frequente de qualquer tipo podem estar ligados à menor bem-estar ", disse Steers.

Steers espera que os resultados destes estudos ajudem as pessoas a compreender que os avanços tecnológicos muitas vezes possuem ambas as consequências intencionais e não intencionais. Além disso, ela espera que sua pesquisa ajude a orientar futuras intervenções que visam a redução do uso do Facebook entre aqueles em risco de depressão.



Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores