quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O VENENO DO CIÚME

Muitas vezes ouvimos dizer que o ciúme é o tempero do relacionamento. Minha escolha de título para este texto já sugere o quanto essa ideia do senso comum me desagrada. Se considerarmos que o ciúme leva a um estado de mal-estar subjetivo caracterizado por emoções como medo, tristeza, raiva e outras, podemos facilmente concluir que o ciúme é uma indesejável fonte de adoecimento individual e das relações.

O ciúme é um estado emocional desagradável, normalmente relacionado a alguma ameaça de perda de vínculo com alguém que valorizamos. Embora haja múltiplas definições de ciúme, há três elementos comumente levados em consideração:
1- É uma reação a uma ameaça (percebida ou imaginada) de perda;
2- É identificado um rival (real ou imaginário) que pode causar a temida perda;
3- Há uma reação que visa eliminar o risco de perda do objeto amado.
Embora o ciúme possa ter diferentes manifestações, vamos focar aqui no ciúme romântico (aquele que se dá entre pessoas com vínculo afetivo-sexual).

Na psicopatologia são conhecidos transtornos psíquicos onde o ciúme pode estar presente, manifestando-se o ciúme patológico como um desejo extremo de controlar totalmente os sentimentos e comportamentos do parceiro. São quadros de grande sofrimento, onde fantasias e até mesmo ideias delirantes podem ocupar de forma constante a pessoa e levarem-na a uma busca compulsiva de evidências que comprovem suas crenças e temores, podendo "encontrar provas" mesmo onde não existem. Bisbilhotar o celular, e-mail e Facebook de sua vítima, além de verificar recibos, faturas de cartão, contas telefônicas e contratar detetives particulares são algumas das violências cometidas pelo ciumento patológico. Há na literatura sobre o assunto casos absurdos, como por exemplo o de uma mulher que assinava com uma caneta sobre o pênis do marido no início do dia e verificava como estava a marca quando ele voltava para casa. Todas essas ações, frequentemente reconhecidas como ridículas pelo próprio doente, tem a finalidade de tentar aliviar as fortes e persistentes emoções negativas, mas não são capazes de parar o mal-estar. Casos extremos podem resultar nos crimes passionais, como agressões e até mesmo homicídios.

Leia Mais: Sobre Psicologia

Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores