quinta-feira, 12 de abril de 2012

Processos Biopsicossociais Do Envelhecimento e a Relação Com O Filme "Longe Dela"

"Envelhecimento é um processo seqüencial, individual, acumulativo, irreversível, universal, não patológico, de deterioração de um organismo maduro, próprio a todos os membros de uma espécie, de maneira que o tempo o torne menos capaz de fazer frente ao estresse do meio-ambiente e, portanto, aumente sua possibilidade de morte". (OPAS, 2006)

O presente trabalho refere-se ao filme "Longe Dela" (2007) e traz discussão sobre outra importante e delicada fase do desenvolvimento humano que é o envelhecimento, um processo universal e individual que envolve em seu contexto aspectos biopsicossocial; é um processo universal por ser natural, por ocorrer independente da vontade da pessoa e de forma gradual em indivíduos que finalizam a fase adulta, e é individual por ocorrer de forma peculiar e num tempo próprio a cada pessoa, que percebe e vivencia as alterações orgânicas, físicas e emocionais de forma diferenciada emitindo sua resposta na própria forma de encarar e viver esta fase da vida.

De acordo com Lueckenotte (2002), a avaliação do sistema neurológico deve ser pautada na observação do estado emocional e mental, na função dos nervos cranianos, na função motora, sensorial e reflexos do idoso. A alteração estrutural de uma área cerebral específica modifica a resposta funcional particular à área afetada.

Envelhecer é um fato que se inicia ainda na fase gestacional, atinge um ápice após a maturidade e termina com a morte. É, portanto, e por isso mesmo, um fato natural e inevitável; o organismo vai se desgastando com o tempo e após este ápice, as células não mais se renovam com a mesma agilidade e a produção de certas substâncias vai diminuindo tempo a tempo.

O tempo então impõe uma cascata de acontecimentos inevitáveis, efeitos indesejáveis que promovem importantes modificações fisiológicas: eis o envelhecimento! O filme de Sarah Polley é uma belíssima obra que narra o drama de uma mulher que se depara com várias perdas: a perda cognitiva que se desenvolve para a Doença de Alzheimer, a perda da condição de viver numa casa normal, de ter uma vida relativamente normal, a necessidade da internação em clínica especializada e a distância do marido.

O início do filme se dá com o Sr. Grant indo até a casa de Aubrey onde conhece sua esposa e inicia com ela, um diálogo muito difícil dadas as circunstâncias que se explicam no desenrolar da história. Fiona, esposa de Grant, apresenta lapsos de memória ao realizar simples tarefas domésticas e seu marido acompanha preocupado a assustadora possibilidade de existir algo muito mais sério por trás destes eventos, que com o tempo passam a ser constantes: Fiona guarda uma panela dentro da geladeira e esquece o nome da bebida que segura (vinho) ao oferecer aos convidados. Ambos mantêm fortes suspeitas sobre esses acontecimentos; Fiona encara melhor essa situação e começa a buscar na literatura, toda informação possível, mas seu marido se recusa a crer que a memória de sua esposa está se degenerando e abrindo espaço para o desenvolvimento da doença conhecida como Alzheimer.

A doença conhecida como DA – Doença de Alzheimer, ou Mal de Alzheimer atinge a área no cérebro que controla a memória, a linguagem e o raciocínio, com possibilidade de atingir outras áreas, comprometendo algumas outras funções. Sabe-se que a DA provoca a morte de células no centro de memória do cérebro, o hipocampo, levando a estrutura a se degenerar progressivamente. Sua causa é desconhecida e pode atingir pessoas adultas a partir dos 40 anos de idade, daí a necessidade de exames preventivos para tratamento mais eficaz, visto que não ainda não existe cura. O estágio inicial desta doença muitas vezes é confundido com um processo normal de envelhecimento pelas alterações cognitivas próprias desta fase, e isso é um dos fatores que atrasa um possível diagnóstico precoce e prejudica no tratamento.

O filme deixa grandes lições

Este filme apresenta lições importantes sobre a vida, sobre o amor, o respeito, a renúncia e a necessidade de cuidados, zelo e proximidade entre pessoas num  período tão delicado como o estágio do envelhecimento e nos mostra que envelhecer é processo natural, comum, o que significa que não tem de ser uma espinhosa experiência. Muito importante mostrar como nosso comportamento durante o decorrer da vida refletem nesta última etapa do desenvolvimento humano. Portanto, velhice feliz ou infeliz depende da construção diária de cada um; dos esforços empregados, das metas alcançadas ou simplesmente, do esforço em tentar alcançá-las. A vida é dádiva, a morte apenas um fenômeno.

Uma frase que chama a atenção, dita por Fiona logo ao início do drama, é algo que assusta pela realidade implícita em seu contexto: "(...) quando as idéias somem, é como se desaparecesse a pessoa (...)", e a doença de Alzheimer funciona como se desintegrasse a identidade de seu portador e embora todos saibam quem ele seja, ele mesmo não se conhece e nem o fato de ser indiferente lhe perturba.


Nenhum comentário:

Popular Posts

Seguidores